A evolução dos consultórios médicos com atendimento on-line. Neste canal você encontrará tudo que precisa saber sobre telemedicina, e as ações da Vitall e Unimed Fesp contra a Covid-19, em prol da saúde por meio da tecnologia.

O que é?

Um documento digital gerado a partir de um processo muito rigoroso de validação de documentos existentes e identificação do requerente, seja presencial ou remotamente.

Pra que serve?

1 - Autenticação de acesso em sistemas (substitui usuário e senha)
2 - Assinatura de documentos

Porque precisa?

A utilização do certificado digital estabelece um terceiro de confiança na transação, seja ela o acesso a um sistema, seja a assinatura de um documento digital. Este terceiro de confiança, na verdade é uma cadeia de confiança, chamada ICP-Brasil (Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira). Ela garante que quem está realizando aquela transação é de fato a pessoa titular do certificado digital. Isso traz valor jurídico à transação, e atribui características importantíssimas a ela, que são, integridade, autoria e confidencialidade. Estas características levam ao que chamamos de não repúdio, isto é, quem executou a transação não pode negar a autoria. Resumidamente, há uma inversão no ônus da prova no caso de transação com Certificado Digital.

O Certificado Digital existe desde 2001, data de criação da Medida Provisória nº 2.200-02, de 24/8/2001. São dezenas de tipos, mas o que os médicos precisam para conseguirem assinar as receitas é o e-CPF, uma versão eletrônica do CPF, que geralmente é certificada por dois modelos de documento:

• Certificado A1: É um arquivo digital instalado com um software no computador, e pode ser utilizado em mais de uma máquina. Sua validade é de um ano, depois deve ser renovado.

• Certificado A3: É um certificado armazenado em um dispositivo criptográfico, uma mídia física como um token USB ou um cartão, que nesse caso precisa de um equipamento leitor. É possível armazenar também direto na nuvem.
Validade máxima de cinco anos.

• Certificado A4: Também armazenado em dispositivo criptográfico, tem a validade um pouco maior, de até seis anos.

Os modelos A1 e A3 são os certificados de pessoa física mais utilizados. A assinatura de CNPJ, mesmo que a empresa seja do prescritor, não é aceita.

 

 

 

 

 

Através da Diretoria Executiva da Unimed do Estado de São Paulo - Federação Estadual das Cooperativas Médicas, com o apoio e homologação do Conselho de Administração, como forma de atender ao 5º Princípio Cooperativista e promover a qualificação e atualização profissional aos médicos cooperados, a Unimed Fesp firmou uma parceria especial com a Associação Paulista de Medicina (APM) e disponibiliza o Curso Básico de Telemedicina.

O curso, que tem valores diferenciados para médicos cooperados e credenciados das Unimeds do estado de São Paulo, e agora com a parceria com a Unimed do Brasil, o mesmo valor para as Unimeds de todo país, será on-line e ministrado pelos principais expoentes do assunto no País, proporcionando conhecimento que vai garantir aos pacientes um atendimento de qualidade e dentro dos princípios éticos da medicina.

Para atendimentos dos beneficiários Unimed por teleconsulta, os profissionais médicos deverão realizar este curso em até 90 (noventa) dias após adesão às plataformas oferecidas pela Unimed Fesp através da VitALL (Amplimed, Docway e PsyAlive), conforme circular CIRC PRES 0041.

Informamos que na Reunião do Conselho de Administração da Unimed Fesp de 20 de abril de 2020 foi aprovado o “Regulamento de Atendimento Assistencial por Plataforma Digital do Sistema Unimed Paulista” com vigência imediata que, dentre as diretriz es básicas, exige-se para o atendimento dos produtos (plano de saúde) com abrangência estadual e nacional, a obtenção do certificado do Curso Básico de Telemedicina APM/FES

 

Objetivo

Contribuir com os médicos na adoção adequada das novas tecnologias digitais. As evidências da liter atur a científica e do mundo real mostram os benefícios que a Telemedicina traz: aumento do acesso das pessoas aos serviços de saúde, melhora na resolutividade dos problemas de saúde, auxílio na organização dos sistemas de saúde e redução de custo.

Temas Abordados

Introdução à Telemedicina;
Responsabilidade, Segurança Digital e Regulamentação em Telemedicina;
Organização de um Serviço de Telemedicina;
Competências e a prática da teleconsulta.

Corpo Docente

Dr. Jefferson Gomes Fernandes
Neurologista, vice-presidente da Associação Brasileira de Telemedicina e Telessaúde (ABTms), presidente do Conselho Curador do Global Summit Telemedicine & Digital Health (e vento da APM), coordenador do Programa de Educação em Telemedicina da APM.

Dr. Chao Lung Wen
Professor associado da FMUSP e chefe da disciplina de Telemedicina, coordenador e responsável pelo Curso de Telemedicina para Pós-Graduação Stricto Sensu na FMUSP.

Dr. Jimmy Ayoub
Cirurgião, diretor de Inovação e Produtos da Teladoc Health Latam, administrador e product manager com histórico de atuação no ecossistema de saúde em posições assistenciais e administr ativas, nos mais diversos stakeholders desta cadeia.

Dr. Henrique Lemos
Médico de Família e Comunidade pelo Hospital Santa Marcelina, especialista em preceptoria médica, médico de Família da Vídeo Orientação e facilitador da equipe de Inovação da Teladoc.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Todos os direitos reservados © Vitall | 2020